Eurotrip: 5 países para um roteiro de viagem incluindo a Inglaterra

Realizar uma eurotrip e aproveitar as férias para conhecer vários lugares é um dos sonhos da maioria dos viajantes. O difícil é decidir Continuar lendo “Eurotrip: 5 países para um roteiro de viagem incluindo a Inglaterra”

4 Hostels em Londres com quarto privativo (e bem localizados!)

Assim como em outros destinos, o hostel é a opção mais barata de hospedagem em Londres. A cidade conta com estabelecimentos Continuar lendo “4 Hostels em Londres com quarto privativo (e bem localizados!)”

7 dicas imbatíveis para economizar em Londres

Com o real desvalorizado, o lema “quem converte não se diverte” nunca foi tão repetido quando decidimos realizar uma viagem internacional. Concordo com a frase, mas isso não é desculpa para estourar o orçamento. Até porque economizar em qualquer moeda é ter dinheiro para fazer mais aventuras, não é? Por isso, resolvi trazer dicas de Londres para você aproveitar a viagem mesmo com pouco dinheiro na carteira. Anota aí:

  1. Economize com transporte em Londres: Oyster e travelcard

    Para usar o transporte público em Londres (metrô, ônibus, overground, tram), jamais compre passagens individuais. É a opção mais cara. A forma mais econômica para se locomover pela cidade é adquirir um Oyster card ou um travelcard em uma estação ferroviária para economizar muitas libras. Enquanto cada bilhete avulso vai te custar £ 5,40 para as zonas 1 e 2 do metrô, com o passe de transporte público será pago £7 libras por dia e com direito a viagens ilimitadas.

    Se a estadia na na cidade for por 4 dias ou menos, use o sistema pay-as-you-go para pagar o transporte. Você poderá usar o transporte, seja metrô ou ônibus, quantas vezes quiser e será debitado apenas um valor fixo por dia no Oyster card. A partir de seis dias em Londres, a melhor opção é carregar o oyster com um travelcard para 7 dias para as zonas em que for mais circular.

    Leia Mais:  Oyster Card: como se locomover em Londres
  2. Peça para levar e gaste menos para comer em Londres

    Se observar o cardápio de cafeterias, padarias e lanchonetes em Londres, você vai perceber que cada item possui dois preços listados (O mesmo também acontece em alguns lugares de Paris). Comer no local (eat in) custa um pouco mais caro, enquanto o pedido para levar (takeaway) sai mais em conta. A diferença ocorre porque há norma que prevê o abatimento no valor do imposto pago para quem decide comer fora do estabelecimento. Então, fique atento e aproveite para economizar nas refeições.

    supermercados com ofertas para economizar em Londres

  3. Baixe os aplicativos de desconto em restaurantes de Londres

    Em Londres, existem apps que reúnem as redes de restaurantes e oferecem descontos para o horário de almoço. Uma as opções é Happiour é focado na área do Soho, com ofertas diárias de até 50% de desconto ou 2 por 1.

    Basta escolher o que deseja e o aplicativo revela um código para se deslocar ao restaurante selecionado. Na mesma linha, há o CityMunch, que também disponibiliza descontos diários ao almoço e jantar.

    Dependendo do seu tempo de permanência na cidade, o Mealpal pode ser outra alternativa e funciona como uma assinatura mensal de refeições. Cada uma custa menos que £5, mas paga-se antecipadamente por 12 ou 20 por mês.

    Há ainda o Tastecard, que oferece 50% de desconto ou 2 por 1 em sete mil restaurantes de todo o país. Embora a adesão ao Tastecard custe 80£ por ano, pode é possível testar durante um mês sem pagar e depois cancelar.

    Leia Mais:  25 restaurantes em Londres com comida barata

  4. Aproveite as atrações e eventos de graça em Londres

    Grande parte dos museus em Londres são gratuitos e não é preciso gastar nenhuma libra para conhecer o Museu Britânico, o Museu de Londres, o Museu de História Natural, o Museu da Ciência, o Museu Victoria & Albert e o Museu da Guerra Imperial.

    Galerias de arte como a National Gallery e  Tate Modern também são de graça, sendo que a última ainda tem um observatório como uma das melhores vistas da cidade (considero muito melhor do que a London Eye, a próposito).

    Museu de Londres tem entrada gratuita e ajuda economizar na viagem
    Além disso, é possível acompanhar a troca da guarda no Palácio de Buckingham sem pagar nada e a cidade conta também com muitas programações musicais gratuitas. Em novembro, por exemplo, várias apresentações ocorreram durante o Festival de Jazz.

    Há ainda performances de música ao vivo grátis semanalmente em Southbank Center (sextas) e na igreja Saint Martin in the Fields (segundas, terças e sextas), bem como concertos e recitais grátis na Southwark Cathedral (segundas e terças) e na igreja Saint James Picadilly (segundas, quartas e sextas).

    Outro programa espetacular e totalmente de graça em Londres é passear pelos parques (Hyde Park, Regent’s Park, Kensington Gardens), pelos bairros como Notting Hill e Convent Garden ou caminhar pela margem sul do Tâmisa, admirando a vista do skyline e das pontes da cidade até chegar à Tower Bridge.

  5. Não pague ingresso e economize com atrações em Londres

    Calma! Não estou sugerindo a invasão de pontos turísticos. Os ingressos para uma visita completa à Abadia de Westminster e Catedral de São Paulo são caros, mas se você não tem interesse pelo tour completo ou está sem grana pode conhecer de graça  uma parte das duas igrejas nos horários das celebrações (Evensong), que acontecem diariamente e contam com a participação dos corais.

  6. Aproveite a promoção 2 por 1 para poupar libras em Londres

    A National Rail, empresa nacional de trens do Reino Unido, oferece aos visitantes promoções para entradas gratuitas em atrações como a Torre de Londres, a Catedral de Saint Paulo e a London Eye. Uma pessoa paga o preço total de adulto e a segunda pessoa não paga, basta ter bilhetes válidos de trem da National Rail e apresentar um cupom de desconto do site Days Out Guide.

  7. Compre o combo e economize no ingresso para a London Eye

    Uma das atrações mais famosinhas de Londres, a roda-gigante tem um dos ingressos mais caros. Se você faz questão de dar uma volta, confira as opções de ingresso combo. É possível combinar, por exemplo, o bilhete da London Eye e do Museu de Cera pagando o preço de um.

    O que indico é fazer a compra no site do Madame Tussauds. Você vai agendar a data e o horário para visitar o museu e terá um prazo de 90 dias para ver a London Eye. Ou seja, você paga mais barato e fica com um ingresso flexível para subir na roda-gigante no dia que o instável clima de Londres cooperar.

    Promoção permite economizar com ingresso da London Eye e museu de cera em Londres

  8.  Abuse dos cupons de desconto e gaste menos em Londres

    As principais cadeias de restaurante de Londres oferecem vouchers de desconto em refeições para duas pessoas. Geralmente, você paga o prato mais caro e ganha o mais barato. Cada restaurante tem suas condições. Por isso, é sempre bom ler os “terms and conditions”.

    Existem vários sites de vouchers que reúnem em um só local ofertas de vários restaurantes, como: o Voucher Cloud, o Money Saving Expert e o My Voucher Codes. Basta acessar o site e fazer o cadastro para aproveitar as ofertas.

Guia para ver Londres de cima gastando pouco (ou nada!)

Com uma das moedas mais valorizadas do mundo, a Inglaterra é o destino dos sonhos para muitos viajantes brasileiros. A visita só acaba sendo adiada por causa do desafio de enfrentar o câmbio desfavorável do real frente à majestosa (vai ter referência à realeza no texto sim!) libra esterlina. Por isso, vou trazer algumas dicas para ajudar a conhecer Londres gastando pouco.

Preciso dizer que não considero a Inglaterra um país caro. Digo do ponto de vista de gasto diário com alimentação, transporte e passeios. Um média de 40 libras por dia é suficiente para aproveitar muito, sem passar aperto.

Leia Mais:  25 restaurantes em Londres com comida barata

No entanto, algumas atrações, como a London Eye, podem sair caro para o nosso bolso tupiniquim. O “voo” de 30 minutos na famosa roda-gigante, por exemplo, custa 27 libras. Então, como £1 custa algo em torno de R$5 devido à desvalorização da nossa moeda, resolvi trazer dicas aqui no blog para organizar o roteiro por Londres sem gastar nem um penny, quer dizer, centavo.

E já que citei a London Eye, vamos falar de passeios para os fanáticos por fotografia que vivem atrás do ângulo perfeito para clicar os cartões postais do destino. Anota aí os lugares com as melhores vistas da capital britânica e com entrada gratuita para economizar no orçamento de viagem.

Londres gastando pouco: mirante gratuito do One New Change 

Quem iria imaginar que uma das melhores vistas da catedral de St. Paul estaria no terraço de um shopping. Não precisa comprar nada para entrar. Só pegue o elevador de vidro até a cobertura e se delicie com a paisagem grátis de Londres. Uma dica é deixar para ir perto no fim do dia e esperar o pôr-do-sol. Pode me agradecer depois, okay?!

Endereço: 1 New Change, London, EC4M 9AF 

Mirante gratuito do Shopping One New Change oferece vista privilegiada da catedral St Paul em Londres

 

Passeio grátis em Londres: Tate Modern

O museu de arte moderna mais visitado do mundo é também estrategicamente localizado em frente à Millennium Bridge e tem uma plataforma com uma panorâmica privilegiada do Tâmisa. Para conferir o acervo e a vista, você não precisa pagar nada! A propósito, a maioria dos museus em Londres são gratuitos e uma excelente opção de passeio para viajantes econômicos.

Endereço: Bankside, London, SE1, 9TG

rio Tâmisa visto de cima a partir do Tate Modern em Londres

 

Atração de graça em Londres: Sky Garden

Um dos edifícios mais altos de Londres oferece uma vista de primeira da Tower Bridge, que reina absoluta nas fotos da terra da rainha. Só é necessário agendar a visita com bastante antecedência, mas você não paga nenhum centavo para subir e curtir o cenário.

Endereço: Sky Garden Walk, London, EC3M 8AF (a entrada fica em 20 Fenchurch Street)

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Dica para gastar pouco em Londres: The Point no Greenwich Park

O Greenwich Park, perto do Royal Observatory, é um ótimo lugar para curtir o skyline de Londres. Para encontrar um espaço menos lotado de turistas e paus-de-selfie, siga dez minutos pela trilha do parque e pare no The Point.

A vista é praticamente a mesma, porém você vai poder desfrutar com mais sossego. Quem sabe até fazer um piquenique com as delícias baratinhas compradas nos mercadinhos de Londres, hein?

Endereço: Point Hill, SE10.

Greenwich é opção de passeio em Londres gastando pouco

 

Passeios baratos em Londres:  Westminster Bridge, Millenium Bridge e London Bridge

Essa vista não é para ver Londres do alto, mas vale a pena. As três pontes oferecem ângulos bacanas para observar os principais cartões-postais da terra da rainha. Da Westminister Bridge, você terá os melhores cliques do Big Ben e da London Eye. A  Millenium Bridge tem um dos ângulos mais bacanas da catedral de St. Paul e a London Bridge é um ótimo ponto de observação dos arranha-céus como The Shard e da Tower Bridge.

Caminhada pela Millenium Bridge para conhecer Londres gastando pouco

 

Bônus: O ingresso é pago, mas é baratinho!
Uma forma de atravessar o rio Tamisa para chegar a Greenwich é o teleférico da Emirates. O bilhete custa menos de 5 libras e você ainda ganha uma paisagem linda de Londres. Além disso, sabia que é possível subir na passarela superior da Tower Bridge? O ingresso custa menos de 10 libras e o lugar garante uma vista privilegiada de prédios icônicos de Londres, como o Walkie Talkie e o The Shard. Depois, se diverta caminhando aleatoriamente às margens do Tâmisa.

Como pesquisar voos low cost?

Em tempos de dólar nas alturas, a gente sempre fica atrás de formas para economizar e não extrapolar o orçamento de viagem. O desafio para nós, brasileiros de classe média, é contornar o câmbio desfavorável sem prejudicar o nosso rolê internacional. Como o blog é escrito por alguém que sofre como você na batalha contra os boletos, vou te dar uma dica preciosa para ajudar a gastar menos.

Talvez você já tenha ouvido falar ou lido uma reportagem sobre as companhias aéreas low cost. Essas empresas são famosas por oferecer passagens de avião bem baratas. Às vezes, até como promoções enlouquecedoras de menos de 10 dólares ou euros. As low cost são mais conhecidas na Europa, mas existem praticamente no mundo todo e podem ser estratégias para dar um upgrade no seu roteiro, sem pagar uma fortuna.

O conceito de empresa low cost teve origem nos Estados Unidos e se popularizou na Europa durante os anos noventa. Essas companhias oferecem baixas tarifas eliminando custos derivados de serviços tradicionais oferecidos aos passageiros, como marcação de assentos, refeições, despacho de bagagens e entretenimento de bordo.

Como funcionam os voos low cost?

O negócio é baseado na simplicidade do serviço e não há distinção de classes nos voos (todo mundo é econômica hehehe). O preço básico ofertado ao passageiro inclui apenas o direto do embarque e uma mala pequena de proporções e volume específico. Sempre confira (e siga!) a informação sobre a bagagem no site antes de confirmar a compra para evitar dores de cabeça.

Você pode comprar peso adicional ou o despacho de bagagens. Mas atenção:  se precisar do volume extra, compre pela internet antecipadamente porque o preço geralmente será mais extremamente mais barato que no balcão do aeroporto. Aliás, o check-in do voo também deve ser feito online. Do contrário, será preciso pagar taxa extra. Em resumo, se você quiser algum atendimento além do básico, será cobrado a mais.

Quando vale a pena voar de low cost?

É bom sempre avaliar as outras alternativas de transporte disponíveis na região, como o trem, o ônibus ou até o aluguel de carro. Na Europa, por exemplo, se a viagem de trem for inferior a 4 horas, a linha férrea é uma melhor opção do que um voo low cost. Até mesmo se o bilhete de trem for um pouco mais caro.

Digo isso porque as companhias áreas de baixo custo operam em aeroportos secundários e que geralmente ficam localizados em áreas distantes e nem sempre com acesso fácil. Já as estações de trem estão dentro da cidade e, muitas vezes, já conectadas com o transporte público para conexão com diversos bairros. Então, faça sempre um comparativo antes de decidir como será o seu deslocamento, ok?!

Como pesquisar e encontrar voos low cost?

Diferente das empresas normais que a gente conhece de cor e vai direto no site para pesquisar passagens, saber todas as companhias áreas low cost e em quais rotas atuam é uma tarefa difícil. Só na Europa são mais de 20 atualmente  e a lista sempre tem alterações por causa do fechamento ou abertura de novas empresas. Então, conferir uma a uma para encontrar o voo desejado seria um processo demorado. Para quem não fala outros idiomas,  é mais um problema porque nem todos permitem tradução para o português.

Por isso, as ferramentas de busca são uma mão na roda  para ajudar a encontrar essas passagens baratas. A pegadinha é que os sites mais populares, como Decolar.com, Viajanet e Submarino Viagens não mostram os bilhetes das companhias low cost ou quando mostram o preço aparece com uma taxa enorme embutida.

Então, para quem quer aproveitar as companhias low cost e economizar com deslocamentos em outros continentes, preparei uma lista dos melhores sites (todos em português!) para pesquisar e encontrar essas pechinchas:

1- Skyscanner

Esse buscador de passagens aéreas já se tornou conhecido no Brasil e foi uma excelente descoberta quando vi que o sistema trabalha com o itinerário das low cost. O site tem funcionalidades como o outlet com promoções para voar de última hora e também o banco de dados que mostra mês a mês os destinos com passagens mais baratas.  Além disso, oferece um aplicativo de celular gratuito compatível com o sistema Android e iPhone (iOS), onde é possível ativar um alerta e ser notificado quando houver bom preço da passagem que o usuário tem interesse. Para buscar passagens low cost, clique aqui!

 

2 – Omio (antigo Go euro)

Descobri esse site ao planejar minha viagem à Inglaterra e fiquei fã porque o buscador oferece um comparativo de todas as opções de transporte disponíveis. Basta digitar a origem e o destino que a ferramenta procura por voos, horários de trem e até linhas de ônibus que fazem o trajeto. No resultado são apresentados o preço do bilhete e o tempo de viagem em cada modalidade. Super prático! Quer fazer a comparação? Clique aqui.

 

3 – Kiwi

Outro site muito prático para encontrar voos low cost pelo mundo. O grande destaque para mim é uma funcionalidade que permite ver os destinos com passagens mais baratos para o período da viagem, igual o sistema que começou a ser oferecido no Google Flights. Para ver o levantamento, é só digitar a cidade de partida (sem especificar o aeroporto!) e no destino colocar a opção “qualquer local”. Voilá! É só verificar os preços no mapa e escolher para onde ir. Faça sua pesquisa!

 

4 – Momondo

Ainda não é um site tão conhecido entre os brasileiros, mas é ótimo para encontrar as passagens low cost. O site tem um diferencial porque na hora da pesquisa mostra uma barra com os preços das passagens em outros dias da semana para você comparar e escolher as datas com valores mais em conta para voar. Consulte!

 

5 – Kayak

Também é um buscador de passagens que inclui os voos low cost no sistema de pesquisa, porém não é o meu preferido. Na minha opinião, a ferramenta é muito simples e não oferece nenhuma das outras funções bacanas que encontramos nos outros sites citados. Confira!